o Porto em 7 percursos: a parte 5 do 2º ==> da Pena Ventosa à rua de Santana

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp
São 7 percursos do livro Caminhar pelo Porto. Este post é a 5ª parte do percurso 2.

O mapa deste trajeto está neste link. Terminamos o post anterior desta série do percurso 2 na Torre Medieval do Porto? Veja aqui o link.

Ao contornar esta Torre, encontramos A Rua de São Sebastião, onde estão os Arcos de São Sebastião. Em anos anteriores este espaço estava uma das entradas da muralha primitiva, como na foto a seguir

Deste ponto é possível ter uma linda visão da Catedral da Sé, como está na foto a seguir.

Bem próximo está uma das ruas muito conhecidas do Porto, a Rua de Pena Ventosa. Já foi chamada de Rua dos Palhais, porque as casa por este espaço eram cobertas de palha.

A foto do edifício anterior é uma referência aos enfeites que a cidade como um todo usa na época dos festejos do São João (fiz este caminho e as fotos em junho de 2020).

O caminho continua à esquerda da rua. O espaço estreito da rua e a arquitetura das casas é algo impressionante. Observe na fotos da sequencia a seguir

Após alguns metros de descida encontra uma área mais aberta. É o Largo de Pena Ventosa.

Na idade média, aqui existia o forno de Pena Ventosa, que fornecia o pão da Cidade. Ao seguir pelo lado esquerdo do largo, encontra-se a Travessa de Pena Ventosa. As casas ter um ar de que o tempo não passou por aqui. E existe uma delas que ter as características das moradias da época em que aqui era uma área rural, como nas fotos a seguir.

O marco da moradia datada dos séculos XVI-XVII é o alpendre sustentado por duas colunas de granito. Bem a frente encontra-se uns degraus das Escadas do Colégio.

Ao final dos degraus está de frente à Igreja de São Lourenço onde hoje funciona o Museu de Arte Sacra.

De frente para este lindo edifício, do lado direito da fachada existe uma pequena caixa de ferro com a legenda “Câmara Municipal do Porto – 1853”. Este era o sistema de alarme de incêndios, com códigos sonoros que permitiam informar onde acontece o incidente. No caso da Sé, o sino toca apenas 1 vez 😎 Bem bolado!!! As fotos a seguir ilustram este sistema.

Pela lateral da igreja tem-se uma linda paisagem do Rio Douro, como na foto a seguir 😍 (sim, mais uma)

O percurso está quase no final, com o passeio pela rua de Santana. E como fiz este percurso no mês de junho, os enfeites em homenagem a São João estão espalhados por toda a cidade e aqui não é diferente.

E quase ao final da rua está o nicho com o pequeno altar de Santana.

Esta parte da cidade também tem outro significado: marca uma das quatro portas da Cerca Velha, a Porta de Santana.

Aqui tem fim penúltima parte do percurso 2. Até a próxima postagem da série do percurso 2 no encontro com o Rio Douro.

O Café? Ali perto, ao fim da Rua Santana tem alguns. Aproveite!!!

admin

admin

Leave a Replay

Alertar no meu email