Em fotos – Caminhar pelo Porto: percurso 4 parte 2 ==> Do passeio Alegre e de volta para o Passeio Alegre

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp
Parte 2 do percurso 4 que é sobre o Passeio Alegre, sem entrar no jardim

É porque o autor comenta um pouco sobre o jardim do Passeio Alegre, mas nos convida a explorar um espaço ao redor. E assim começo com o comentário e a fotografia dos obeliscos, autoria de Nicolau Nasoni

Estão no jardim desde 1937. No entanto já presenciaram a entrada das tropas constitucionais de D. Pedro IV na cidade do Porto em 1832, quando estavam na Avenida de França.

O autor recomenta que caminha-se pela lateral do jardim, para observar um “belo exemplar da época da arquitetura do Ferro”, como no prédio retratado na foto abaixo

E após passar pela frente desta construção, chegamos à Calçada da Igreja como está na imagem abaixo

É possível assim ver a pequena capela dos Passos da Foz do Douro, que faz parte de um conjunto de estações da via-sacra, como ilustra as fotografias abaixo

Estas estações já comentei nos percursos anteriores. Mesmo poucas, são muito significativas.

A caminhada segue pela Rua de Raul Brandão, pela direita da capela. Alguns metros e encontramos umas escadas que nos levam ao Largo da Igreja. Acompanhe pelas seguintes imagens

Ao chegar no topo das escadas está a Igreja de São João Baptista da Foz do Douro como mostrado na fotografia abaixo

 

 

O largo é um espaço bem bonito, porque fica em uma área mais alta em relação a avenida onde iniciamos o percurso, no Jardim do Passeio Alegre, de acordo com a fotografia abaixo

 

 

Então o autor faz a sugestão que entremos na Igreja. Não vou descrever internamente porque é objetivo em outra série, sobre as igrejas ☺!!!

Vamos continuar pela pela rua pela lateral direita da igreja, na rua de São João da Foz, como mostra a placa da imagem abaixo e uma visão desta pequena rua

 

Uns 30 metros depois está a Fonte dos Frades, como está apresentado na fotografia abaixo

Esta fonte já foi de uso público e depois um pároco entendeu que devia ser só de uso da igreja (e sua de forma pessoal). Na sequencia, a comunidade apelou às autoridades, que ganhou a questão e passou novamente para uso pela comunidade.

Daqui já estamos de volta para o Jardim do Passeio Alegre. Após a fonte, pode retornar pela Calçada das Laranjeiras…

 

 

… até chegar na Rua das Laranjeiras …

 

… E já avistamos o Jardim do Passeio Alegre, novamente.

E o restante deste Jardim e mais curiosidades nos próximos posts do percurso 4.

 

admin

admin

Leave a Replay

Alertar no meu email