Em fotos – Caminhar pelo Porto: percurso 3 parte 6 ==> do Museu do Carro Elétrico até o Farol

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp
Pense na caminhada longa!!! Só fiz porque tinha o Douro a minha beira, como dizem por cá.

E estamos no fina do percurso 3. A parte mais longa do percurso, que o autor do livro referência dá a sugestão de fazer de Carris, porém eu fiz de forma pedonal!!!

Já neste ponto, o autor destaca que este percurso marginal foi concebido no século XVIII, graças a um imposto sobre a venda de vinho.

Deixando um pouco de lado a maravilhosa paisagem do Rio Douro, o autor comenta sobre um edifício amarelo que está na foto a seguir:

Era o frigorífico do bacalhau. E na sequencia ele comenta sobre uma torre que era utilizada ainda nos tempos de D. Pedro I, por volta de 1399, que servia de sustentação de uma corrente pesada, com a finalidade de impedir a entrada de inimigos Rio adentro. Não encontrei a tal Torre!!!

E na sequencia a linda ponte da Arrábida, como na imagem a seguir

Mais detalhes, trago em outros posts. Esta área é conhecida como Sítio do Ouro, com destaque inicial para o edifício da Companhia de Luz Elétrica na imagem abaixo (espero que não tenha errado, porque não vi nenhuma indicação).

Ao caminhar pelo percurso, muitos pontos não são comentados, como por exemplo a fonte de água da imagem a seguir

A qual tem uma explicação sobre o motivo de não ter mais neste local, como na foto abaixo

Com a caminhada ainda pela calçada próximo ao Rio Douro, existe um marco sobre o nome desta região, como na imagem abaixo

E uma explicação sobre a identificação do local ter sido um estaleiro, como está na imagem abaixo

Mais adiante, encontramos um largo, denominado atualmente como Largo de Antonio Calém. O motivo deste destaque é a presença do monumento aos Tripeiros. Esta curiosidade fica para outro post. O monumento está na imagem a seguir

estamos quase chegando ao final do percurso. O autor destaca neste parte final a imagem denominada O Anjo, ali mesmo na calçada. Aqui está a fotografia.

Toda vez que passo por ela, em qualquer época do ano, tem velas e flores. O caminho segue pelo Rio Douro com um espaço bem pargo de calçada. Muito bom sentar por aqui a contemplar o por do sol. Tenho alguns exemplos interessantes

E o percurso termina no Farol de São Miguel-o-Anjo, que serve de ligação para o percurso 4 e que tem a fotografia na parte 1 do percurso 4. Até lá, com a sequencia sugerida no livro de Germano Silva. Ufa! Cansei nesta última parte. Vamos ao café com natas!!!

admin

admin

Leave a Replay

Alertar no meu email